DAY CARE CENTER LUZ SORIANOCENTRO DE DIA LUZ SORIANO
Arca d'água PORTO
2009 -

IMPLANTAÇÃO

O edifício proposto do Centro de Convívio irá ser inserido dentro de um conjunto de equipamentos que constituem a sede de Ordem dos Médicos - Secção Regional Norte. Ao longo dos anos, com a consolidação da Ordem, foram sendo acrescentados alguns equipamentos ao edifício original, na Rua de Delfim Maia - Campos de Ténis, Piscina, Parque de Estacionamento e o Centro de Cultura e Congressos. Destes, destaca-se a proximidade ao “Centro de Cultura e Congressos da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos”, com o qual existirá, inclusivamente, alguma interacção funcional. A intervenção a que se refere a presente memória corresponde a mais um passo dentro desta lógica.
A ligação entre os equipamentos referidos é feita através de uma alameda. O reforço da sua qualidade de eixo estruturante é uma das premissas da proposta, inserindo-se de forma pacífica na lógica global existente e aproveitando o facto de ser contígua ao lote da casa da Rua de Luz Soriano. Esta casa, até agora de habitação unifamiliar, apresenta uma clara hierarquização nas suas relações com a envolvente: assenta numa plataforma elevada em relação à rua, com um acesso por rampa; aproveita a boa exposição solar de Poente, orientando os espaços nobres para a via pública; utiliza as fachadas “laterais”, de Norte e Sul, para fazer os acessos; releva a fachada Nascente para um segundo plano de importância, com acessos a espaços técnicos e zonas de circulação vertical. Todas estas observações são transversais aos critérios de análise de um edifício, desde a organização interna até aos materiais utilizados, passando pela morfologia arquitectónica.
As necessidades funcionais requeridas inviabilizam a utilização exclusiva desta casa, surgindo a inevitabilidade de aumentar a edificação. Acrescentando a isto o facto de a fachada nascente, de menor grau de sumptuosidade do edifício existente, ser a que se relaciona com a alameda referida, surge como lógica a utilização do espaço que está entre esta e a casa da Rua Luz Soriano para a implantação da nova edificação.
Esta opção permite manter as características originais do edifício e qualificar as novas funções e relações.
A ampliação proposta procura afirmar-se como um volume que estabeleça ligações físicas e formais, mas sempre com um sentido de enaltecer as qualidades existentes identificadas, e nunca procurando competir ou sobrepor-se ao existente. Aliás, a única parte que será alvo de uma reestruturação de fundo diz respeito ao volume de dois pisos na zona norte. Actualmente, esta parte da casa encontra-se com uma diferença nos dois níveis de relação com os restantes espaços da casa, o que contraria a sua vocação de espaço de acesso e circulação vertical, além de diminuir significativamente o pé-direito do piso térreo.
Assim, a implantação (da nova área) assenta na construção de um volume térreo, contíguo às fachadas Nascente e Norte da casa original, com uma zona de excepção no espaço referido no parágrafo anterior, em que se opta por erguer um volume que sirva todos os pisos com elevador e que concentra espaços de recepção e chegada.
A implantação, embora esteja susceptível a alguma polémica pelo facto de se encostar a um lote contíguo, é vista como uma oportunidade única de qualificar este lugar específico e introduzir novas valências ao conjunto dos equipamentos da Ordem dos Médicos - Secção Regional Norte. Chama-se a atenção, portanto, para o facto de, ao encostar o edifício aos limites do lote, se abrirem possibilidades de estabelecer relações harmoniosas entre o antigo e o novo, entre a lógica do lugar e a da presente intervenção.

Centro de Convívio - Casa Luz Soriano from ARQX on Vimeo

ORGANIZAÇÃO INTERNA

O edifício existente tem, como já se referiu, uma lógica bastante clara em toda a sua organização. Ao nível dos espaços interiores, verifica-se em todos os pisos uma orientação dos espaços mais nobres a poente, destacando-se as relações interior-exterior no Piso 0 e no Piso 1. À fachada Sul correspondem espaços que apoiam e complementam os espaços nobres, com a presença de escadas de serviço, cozinha, casas de banho e arrumos. Na fachada Norte existe um volume com dois pisos, que está desnivelado em relação aos níveis do resto da casa. Relativamente a este volume propõe-se um redesenho que coloque os níveis de cada piso em igualdade, assim como a inserção de um elevador, de forma a facilitar a circulação de pessoas com mobilidade condicionada.
Este é o único ponto que merece uma intervenção mais profunda, tentando-se, no resto da casa, manter o carácter da organização interna. Assim, nos espaços associados à fachada Sul mantêm-se entrada de serviço, espaço para preparar refeições, arrumos e outras zonas de serviço, com circulação vertical própria; nos espaços virados a Poente as salas sofrerão pequenos ajustes e alterações, que permitam recuperar os elementos construtivos existentes e melhorar a circulação em geral; as escadas principais serão mantidas, e as intervenções nos patamares de cada piso estão relacionadas com a introdução de instalações sanitárias mais adequadas ao novo funcionamento do edifício e que se tornem acessíveis a pessoas com mobilidade condicionada.
A existência de espaços de serviço no edifício original sugere o seu aproveitamento para preparar pequenas recepções, que podem facilmente ser realizadas nas salas do Piso 0, nas salas do Piso 1 ou até simultaneamente.

No que diz respeito à volumetria da nova proposta, a sua organização é bastante simples, destacando-se a introdução de um eixo longitudinal de circulação, que serve os diferentes espaços, e que será pontuado por aberturas para o exterior, permitindo uma rápida apreensão da organização espacial interior e das suas relações com o exterior. Os compartimentos inseridos neste volume de ampliação estão reservados a actividades mais específicas e com maior exigência de privacidade, estando convenientemente apoiados por zonas de serviço e instalações que permitam uma certa autonomia dentro do conjunto.

DAY CARE CENTER LUZ SORIANO SCALE MODEL